Seja bem vindo
Delmiro Gouveia,27/05/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Chuvas no RS: barragens de minério estão “monitoradas” e “seguras”, diz ministro

Ainda há três barragens com nível de emergência ativo, segundo governo do Rio Grande do Sul

Fonte: CNN Brasil
Chuvas no RS: barragens de minério estão “monitoradas” e “seguras”, diz ministro Imagem: Reprodução

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, disse nesta sexta-feira (10) à CNN que as barragens de minério do Rio Grande do Sul estão “monitoradas” e “seguras”.

São três as barragens de mineração existentes no Rio Grande do Sul:

uma no município de Santo Antonio da Patrulha, na Grande Porto Alegre;

outra em Minas do Leão, a oeste da região metropolitana da capital; e

uma terceira, em Caçapava do Sul, na região sul do estado.

Diariamente, o governo do Rio Grande do Sul divulga balanços sobre a situação de todas as barragens no estado em meio aos impactos das chuvas no estado.

O monitoramento é feito tanto pela Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura do estado como pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

“É esse trabalho integrado que vai minimizar o sofrimento do povo gaúcho”, afirmou Silveira ao Live CNN (de segunda a sexta, às 9h).

De quinta-feira (9) para esta sexta, baixou de seis para três o número de barragens com nível de emergência.

Ainda estão classificadas com este nível as barragens:

Da usina hidrelétrica Salto Forqueta, entre São José do Herval e Putinga, no Vale do Taquari;

Saturnino de Brito, em São Martinho da Serra, município vizinho a Santa Maria; e

Santa Lúcia, em Putinga.

As barragens São Miguel e Arroio Barracão, em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, tiveram suas classificações de emergência encerradas.

“Após redução dos índices pluviométricos e a possibilidade de acesso aos locais, foi possível atestar as condições de segurança”, afirmou o governo gaúcho em boletim.

Já na barragem da usina hidrelétrica 14 de julho, entre Cotiporã e Bento Gonçalves, que teve um rompimento parcial, “as estruturas remanescentes são estáveis às vazões”.

A barragem da 14 de julho foi rebaixada de nível de emergência, com “risco de ruptura iminente”, para de alerta, quando há “anomalias” que demandam “providências para manutenção”.




COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login