Presidente da Adefideg repudia falta de acessibilidade da Câmara Municipal de Delmiro Gouveia

Em março deste ano, a Adefideg ingressou com uma ação judicial na tentativa de obrigar o ente público adequar-se à legislação


Por Redação em 06/12/2018 - 12:58 hs

Presidente da Associação dos Deficientes Físicos de Delmiro Gouveia - Foto: Divulgação/redes sociais

Na manhã desta terça-feira (04), a presidente da Associação dos Deficientes Físicos de Delmiro Gouveia (Adefideg), concedeu entrevista ao repórter da rádio comunitária Alternativa FM, Daniel Marques, e afirmou que repudia a falta de acessibilidade da Câmara Municipal de Delmiro Gouveia.

De acordo com Valfrania de Souza, a Câmara de Vereadores não possui meios que facilite o acesso das pessoas com deficiência física para participar das Audiências Públicas. “Queríamos que fosse colocado um elevador para nos dar a oportunidade de participar das sessões", frisou.

Em março deste ano, a Adefideg ingressou com uma ação judicial na tentativa de obrigar o ente público adequar-se à legislação. Na época, o presidente da Casa Legislativa, Ezequiel de Carvalho Costa, propôs um Termo de Cooperação Técnica com a prefeitura de Delmiro Gouveia, para o município ficar responsável pela realização do projeto estrutural, por meio de um engenheiro, cabendo à Câmara a implantação do elevador.

Durante a entrevista, a presidente da entidade ressaltou que na última segunda-feira (03), foi comemorado o dia internacional da pessoa com a deficiência, data, na qual se discute políticas públicas voltadas a buscar melhorias e qualidade de vida de todos que possuem alguma deficiência ou mobilidade reduzida.

Pensando nisso, ela relatou que lamenta muito o comportamento desrespeitoso de muitos com relação a pessoa com deficiência e ressaltou as dificuldades encontradas no cotidiano.

“A maior barreira que enfrentamos hoje não é somente as barreiras arquitetônicas de estabelecimentos e prédio públicos, nossa maior dificuldade é a falta de respeito para com as pessoas com deficiência. Me sinto excluída na medida que o respeito não é colocado como prioridade”, afirmou Valfrania de Souza.

Em seguida a palavra foi passada para Geovane, vice-presidente da Adefideg, que relatou um caso de desrespeito por parte do coordenador de transporte do estado.

"Também repúdio a forma como fui tratado pelo coordenador de transporte dos estado. Solicitei um carro adpatdo para me transportar até uma escola e a resposta que obtive foi que poderia ser qualquer veículo, retruquei e disse a ele que tenho meus direitos deveriam ser respeitados e que procuraria a justiça. Simplesmente ele me respondeu que eu poderia ir, que ele estaria pronto para defender o estado", disse.

Sobre a questão da falta de acessibilidade na Câmara Municipal de Vereadores, através da Assessoria de Comunicação da Casa Legislativa, o presidente Ezequiel de Carvalho Costa, informou que estará cobrando novamente à Prefeitura o projeto estrutural. "O prédio da Câmara é um prédio que tem muitos anos e carece realmente de acessibilidade.  Cobrarei mais uma vez do Executivo esse projeto para que assim, possamos colocar o elevador ", falou.



Deixe seu Comentário


 topo

Seja visto por centenas de pessoas diariamente

Cadastre-se agora mesmo em nosso guia comercial, conheça agora mesmo nossos planos !