Candidatura de Melquezedeque, do PCO, ao governo de AL é indeferida pelo TRE

Pleno do TRE-AL rejeitou documentação do Partido da Causa Operária (PCO). Decisão atinge todas as candidaturas do partido em Alagoas; ainda cabe recurso.


Por Thaís Cardoso em 14/09/2018 - 11:15 hs

Melquezedeque Farias, candidato ao governo de Alagoas pelo PCO — Foto: Reprodução/TV Gazeta

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Alagoas rejeitou o Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (DRAP) do Partido da Causa Operária (PCO) e, com isso, indeferiu a candidatura de Melquezedeque Farias ao governo do estado e as demais candidaturas da chapa. Cabe recurso da decisão.

O DRAP do PCO foi julgado nesta quinta-feira (13). O documento é um formulário que deve ser preenchido e entregue no ato do registro das candidaturas à Justiça Eleitoral, que avalia se o partido ou coligação preenchem os requisitos legais para participar do processo eleitoral.

“O partido, neste caso, não atendeu os requisitos para indicar candidatos para essa eleição”, disse o desembargador Eleitoral Luiz Vasconcelos Netto, relator do processo.

A reportagem tentou falar com Melquezedeque e com os demais integrantes do PCO, mas ninguém atendeu as ligações.

Além dos candidatos a governador e vice-governador de Alagoas, o PCO também tinha uma candidata ao cargo de senadora e outra ao cargo de deputada federal.

O desembargador não deixou claro quais as irregularidades no documento. No DRAP, devem constar nome, sigla do partido (ou da coligação), data da convenção, nomes dos candidatos e cargos pleiteados, endereço e contato.

Com o documento indeferido, todas as candidaturas do partido também são indeferidas automaticamente.

“No Brasil, ainda não se permite candidaturas avulsas, ou seja, individuais, que não sejam por representação proporcional”, explicou o desembargador.



Deixe seu Comentário


 topo

Seja visto por centenas de pessoas diariamente

Cadastre-se agora mesmo em nosso guia comercial, conheça agora mesmo nossos planos !